Cenários positivos para pecuária de corte brasileira

Prof Thiago Bernardino de Carvalho

Demanda doméstica deve ditar ritmo em 2019

Ano novo, vida nova! A frase dita por muitas pessoas na virada de ano, foi lembrada por pecuaristas no início de 2019. O ano que passou foi marcado pela indecisão político-econômica do país, somado a crise dos caminhoneiros que afetou tanto a produção interna, como investimentos em todas cadeias produtivas.

Aos pecuaristas, restou trabalhar com oscilações de preços e o alto custo de alimentação que freou a expectativa de melhores preços ao longo do ano. O ponto alto da atividade ao longo de 2018 foi o recorde de embarques de carne bovina ao exterior, que ajudou no equilibro entre oferta e demanda, fato este que deve ser observado no ano que começa.

Mercado externo favorável, com a expectativa de uma demanda interna se recuperando, trazem um alento ao setor e remete a frase do início do texto, ano novo, mas com expectativa renovada.

A pecuária já traçava um cenário de maior oferta entre os anos de 2016 e 2018, natural de todo o investimento realizado. O freio para segurar preços menores viria da demanda, interna e externa, que não ocorreu devido ao mau cenário brasileiro. Entretendo, com a mudança política e os indicadores nos trilhos – inflação controlada, taxa de juros baixa e maior expectativa de investimento no mercado interno – observa-se um cenário favorável para os setores, entre eles a agropecuária e a carne bovina, que deve ser alavancada pelo consumo doméstico.

Pelo lado externo, a expectativa de patamares de dólar valorizado em torno de R$ 3,80 ao longo do ano, somado a dificuldade de países concorrentes em competir com custo baixo e largo oferta com o Brasil, traz um cenário também favorável. Soma-se a esses fatos, a crescente demanda chinesa, que deve continuar em 2019, assim como a reabertura do mercado russo e a habilitação de mais plantas para exportações para vários países.

MERCADO FUTURO BOI GORDO: o mercado futuro de preços da arroba, sinaliza para o segundo semestre de 2019, preços nos patamares de R$ 160,00/@ no Estado de São Paulo. A expectativa de agentes do setor, é de que com a contínua demanda do mercado externo, somado a recuperação do mercado interno, as cotações possam valorizar um pouco mais. Se tomarmos como exemplo o ano passado, houve uma valorização de 2m67% em temos nominais da arroba de dezembro frente a janeiro.

INSUMOS:  De acordo com pesquisadores do Cepea, para a safra 2018/19, é esperado aumento na oferta de milho no Brasil e no mundo. a elevação deve ocorrer devido aos maiores patamares de preços do cereal nos últimos meses e ao rápido semeio da soja na primeira safra, que favorecerá o cultivo da segunda temporada de milho. A maior oferta do grão na safrinha deve trazer otimismo para pecuaristas fecharem gado em confinamento no segundo semestre de 2019.

O cenário neste ano novo se desenha positivo para a pecuária de corte brasileira. Resta ao pecuarista traçar um bom planejamento e fazer a gestão de compra e venda de acordo com a rentabilidade que deseja na atividade sabendo que oscilações de preços de insumos e do boi gordo sempre irão ocorrer, independentemente do cenário.

25/01/2019|Noticias|

Deixe seu comentário

pt_BRPortuguese
en_USEnglish pt_BRPortuguese